(11) 4372-5907

Busca Avançada

O resutado deve conter:
exatamente a expressão que foi definida no campo acima em seu conteúdo
pelo menos uma das palavras que foram definidas no campo acima em seu conteúdo
cada uma das palavras que foram definidas no campo acima em seu conteúdo

Buscar em:
Notícias Conteúdo Vídeos Galerias de imagens Tudo

Notícias

18/05/2018

Gestão colaborativa: até 5% dos funcionários acumulam cerca de 35% das tarefas

Se não for implementada assertivamente, a participação ativa de colaboradores nas decisões pode causar desequilíbrios internos, com alguns trabalhando mais do que outros. E isso é ruim para o negócio.


Diferentemente das hierarquias tradicionais, nas empresas que praticam a gestão colaborativa os funcionários participam ativamente das estratégias e das decisões. Em muitos casos não há chefes, apenas responsáveis por cada projeto. É um modelo atual que incentiva a ação conjunta de toda a equipe, mas também apresenta riscos que precisam ser evitados.

Uma situação comum é não ficar claro quem deve fazer cada tarefa. E muitas vezes o problema só é percebido quando se descobre que uma atividade importante deixou de ser realizada. "Como não há uma hierarquia, em muitos casos, fica apenas insinuado o que cada um deve fazer", afirma o consultor Edson Herrero, professor na escola de negócios Integração. Nesse ambiente horizontal, cabe ao funcionário ter em mente a importância de assumir protagonismo. Mesmo sem existir uma figura de chefia, explica Herrero, algum profissional deve dividir tarefas e alocar responsabilidades. Quando isso não acontece, há efeitos negativos no resultado.


Mas essa distribuição de tarefas tem de ser feita sem sobrecarregar ninguém, o que também tem se mostrado algo desafiador. A Harvard Business Review publicou pesquisa realizada em 300 companhias, na qual ficou constatado que entre 3% e 5% dos funcionários contribuem com até 35% das tarefas. Isso acontece muito quando determinados colaboradores ficam conhecidos na empresa por serem muito capazes e dispostos a ajudar, e passam a ser incluídos em diversos projetos. Ou seja, seu bom desempenho acaba "premiado" com uma sobrecarga de trabalho ruim para o profissional e para a empresa.

Outro ponto que merece atenção em uma ambiente colaborativo é o excesso de interações. Há casos em que profissionais gastam 80% da rotina diária participando de reuniões, respondendo e-mail e atendendo ligações. Assim, quase não sobra tempo para realizar tarefas realmente importantes. Toda empresa que opta pela gestão cooperada não pode esquecer que o foco deve ser manter um ambiente colaborativo, com espaço para a criatividade, mas sem comprometer a produtividade. 

Fonte:https://www.sm.com.br/detalhe/gestao/gestao-colaborativa-sobrecarga-de-trabalho-para-35-dos-funcionarios

Notícias Relacionadas